Polônia, História da Igreja

De FamilySearch Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Polônia Gotoarrow.png História da Igreja

Procedimentos de pesquisa e fontes genealógicas são diferentes para cada religião. Compreender os acontecimentos históricos que levaram à criação dos registros em que sua família foi lista (como os registros paroquiais) ajuda a pesquisa genealógica.

Católica Romana (rzymsko-Katolicki)

Plock 054.jpg

A fé católica romana foi aceita na Polônia em 966 AD (data considerada como a fundação da Polônia) e tornou-se a fé predominante até 1573. Embora o Protestantismo tenha feito algumas incursões no século XVII, o Catolicismo manteve-se como a religião dominante da Polônia.

Greco-católica (Grecko-Katolicki)

Lviv - Cathedral of Saint George 01.JPG

Em 1595, Ucranianos Ortodoxos se uniram formalmente à Igreja Católica Romana. Eles mantiveram sua liturgia ortodoxa e doutrina, mas reconheceram a autoridade do Papa Católico Romano. A religião Greco-Católica é, geralmente, encontrada na região sudeste da Polônia. Muitos Católicos Gregos se tornaram membros da Igreja Ortodoxa Russa, ou da Igreja Católica Romana, depois de emigrarem para os Estados Unidos.

Igreja Ortodoxa Russa (prawoslawny)

Poland Białowieża Orthodox church.jpg

A fé ortodoxa russa deriva da Igreja Bizantina, que rompeu com a Igreja Católica Romana em 1054. A Igreja Ortodoxa Russa ganhou uma posição limitada no Congresso da Polônia, durante o controle da Rússia. Os seus membros na Polônia eram, predominantemente, de etnia russa ou bielo-russa.

Protestante (ewangelicki)

Cieszyn 57.jpg

Para entender as Igrejas Protestantes na Polônia, é importante diferenciar a palavra "Luterano", que é usada como um adjetivo para descrever as pessoas que seguem os ensinamentos de Martinho Lutero, e que também é usada como um substantivo para nomear a Igreja [Luterana] que essas pessoas frequentavam. Da mesma forma, a palavra polaca "ewangelicki", como adjetivo, descreve genericamente os protestantes na Polônia, mas, como substantivo, refere-se, especificamente, à religião dos seguidores de Lutero. Na Polônia histórica, não havia nenhuma Igreja Luterana (substantivo), mas havia a Igreja Evangélica de Augsburg, que seguia os ensinamentos de Lutero. Nos Arquivos de Varsóvia , qualquer referência aos registros de igrejas Evangélicas (onde a palavra está sozinha) são quase certamente as da Igreja Evangélica de Augsburg. Outras referências podem designar, especificamente, a Igreja Evangélica Reformada. Esta distinção pode ser confusa, mas é importante para aqueles de nós que estão mais familiarizados com os padrões de nomenclatura norte-americanos para as igrejas.

Por ser predominantemente de fé católica, muitos grupos religiosos foram severamente perseguidos na Polônia, até a Confederação de Varsóvia, em 1573, quando as leis da tolerância foram aprovadas ​​e as várias denominações cristãs obtiveram garantia de proteção por parte do Estado. Depois disso, a Polônia tornou-se um refúgio para as pessoas que eram perseguidas em outros lugares. Foi oferecido um abrigo seguro na Polônia a muitos grupos protestantes que eram perseguidos, incluindo os Anabatistas (grupo de cristãos que se levantaram contra algumas doutrinas da Igreja Católica), Bohemian Irmãos (ou Morávia Irmãos), e outros. Os Menonitas, os Batistas, os Irmãos, os Calvinistas e outros grupos já existiam na Polônia desde os meados do século XIV.

O Calvinismo (também chamado de Tradição Reformada, Fé Reformada ou Teologia Reformada), ganhou alguns seguidores entre a classe alta polonesa. Alguns refugiados suíços Calvinistas se estabeleceram na Polônia bem cedo. A maioria dos Calvinistas na Polônia era limitada à etnia alemã-suíça e eram menos numerosos do que os Luteranos.

Embora o Luteranismo (Confissão de Augsburg ou Igreja Evangélica) tivesse apenas um pequeno número de seguidores na Polônia, eles se estabeleceram firmemente entre a população alemã. As províncias prussianas da Pomerânia, Brandemburgo e Prússia Oriental foram colonizadas por alemães entre os séculos XII e XIII, e, em 1880, os Luteranos compunham 94% da população de Brandemburgo, 97% da Pomerânia e 86% da Prússia Oriental.

Nas partições da Polônia, em 1772/95, a Prússia ficou com as províncias da Silésia, Posen e Prússia Ocidental, e alemães Luteranos começaram a colonizar esses territórios anteriormente aos poloneses. Até 1880, pouco menos da metade da população da Silésia e da Prússia Ocidental e um terço da população de Posen eram Luteranos. Quando a totalidade ou parte desses territórios prussianos se tornaram parte da Polônia, no final das Primeira e Segunda Guerras Mundiais, a maioria dos Luteranos alemães mudou-se para a Alemanha Ocidental.

Alemães Luteranos também se estabeleceram em outros territórios poloneses tomados pela Prússia, em 1795. Esta área da região central da Polônia foi, por um tempo, chamada de Prússia do Sul . Ela foi incorporada ao Ducado de Varsóvia a partir de 1806/15 e se tornou parte da Polônia em 1815. Alguns dos alemães desta área permaneceram nas partes da Polônia mantidas pelos russos, e outros se deslocaram mais para o leste, para Volhynia, na Ucrânia Ocidental. No final do século XIX, quando as condições pioraram para esses colonos alemães, muitos se mudaram para assentamentos alemães perto do Mar Negro, para a Alemanha, ou para os Estados Unidos. Mais de 3.000 aldeias dentro da Polônia russa tinham como moradores colonos alemães.

Para mais informações sobre os alemães que viviam na Prússia, ver o Roteiro de Pesquisa Alemã (34061). Histórias das comunidades luteranas alemãs que permaneceram em partes da antiga Polônia e territórios da Prússia que se tornaram parte da era pós-II Guerra são indicadas em:

  • Kneifel, Eduard. Die evangelischaugsburgischen comunas na Polônia 1555/1939 (As Paróquias Evangélicas de Augsburg na Polônia 1555/1939). Munchen, Alemanha: Eduard Kneifel de 1972. (FHL livro 943,8 K2ka; ficha 6.000.812). (Atualmente disponível online para download gratuito)

Para mais informações sobre a história dos Luteranos, Calvinistas, Menonitas e outras minorias, veja:

  • Klassen Peter J. A Homeland for Strangers: an Introduction to Mennonites in Poland and Prussia (Uma Pátria para Estranhos: uma Introdução ao menonitas na Polônia e Prússia). Fresno, Califórnia: Centro de Estudos Irmãos menonitas , 1989. (943,8 F2k.)
  • Kneifel, Eduard. Geschichte der Evangelisch-Augsburgischen Kirche in Polen (História da Igreja Evangélica-Augsburgo na Polônia). Niedermarschacht ber Winsen / Luhe: Eduard Kneifel de 1964. (FHL livro 943,8 K2K.) (Atualmente disponível online para download gratuito)
  • Kupsch, Eduard. Geschichte der Baptisten em Polen 1852-1932 (História dos batistas na Polônia 18521932). Zdunska-Wola: Eduard Kupsch de 1932. (FHL livro 943,8 K2ke;. Filme 1.183.574, item 8)
  • Schrag, Martin H. The European History of the Swiss Mennonites from Volhynia  (A história européia dos menonitas suíços de Volhynia). North Newton, Kansas: Menonita Press, 1974. (FHL livro 940 F2S; filme 1.045.361, item 5.)
  • Tazbir, Janusz. A State Without Stakes: Polish Religious Toleration in the Sixteenth and Seventeenth Centuries (Um Estado Sem Estacas: Tolerância religiosa polonesa no décimo sexto e sétimo séculos)  (A Biblioteca de estudos poloneses.) Chicago, Illinois:. Kosciusko Foundation, 1973. (943,8 H2Lp v 3.)
  • Wandering Volhynians: A Magazine for the Descendants of Germans from Volhynia and Poland (Andarilhos Volhynianos: uma revista para os descendentes de alemães de Volhynia e Polônia). Vancouver, BC, Canadá: Ewald Wuschke, 1989. (FHL livro 947,718 D25w.)

Menu de navegação